REVISTA FESTA ETC KIDS Nº13 - Out./06

 

 

Conversando

 

Ter um parabéns diferente, com muita animação e efeitos especiais é o sonho de todas as crianças. Os buffets infantis das regiões Leste e Norte vêm, cada vez mais, caprichando nesta hora e tornando-a inesquecível. Conheça alguns buffets que fazem desse momento o mais emocionante da festa.

Conheça também alguns proprietários de buffets infantis que literalmente põem a mão na massa e vão para a cozinha. E é de lá que saem massas caprichadas, deliciosos bolos, salgados sequinhos e saladas criativas. Experimente.

Com idéias originais, os decoradores têm feito maravilhas nas fachadas e no interior dos buffets. Vários deles mostram alguns de seus trabalhos nesta edição.

E para facilitar a procura das dezenas de buffets infantis da região Leste, a revista Festa Etc Kids preparou um mapa com os principais. Na próxima edição será a vez do mapa da região Norte.

Boa festa.

 

PARABÉNS COM SUPERPRODUÇÃO

 

Depois de receber os amigos e divertir-se muito, chega o momento mais esperado por todos numa festa de aniversário: a hora do parabéns. A melodia Parabéns a Você, que nasceu da canção Good Morning to All, publicada em 1893 e registrada em 1935, hoje é cantada com direito a uma superprodução de luzes, imagens e som. A moda vem ganhando cada vez mais espaço nos buffets infantis das regiões Norte e Leste de São Paulo e agradando pais, crianças e convidados.

 

SURPRESA COLORIDA

 

“Todo mundo disse que nunca tinha visto um parabéns assim!”, alegra-se Rita Aparecida Ferreira Quiroga, mãe de Rhaissa, um ano. Ela comemorou o aniversário da filha no Pirilampo’s, no Tatuapé. São de 15 a 30 minutos de show. Jogos de luzes ganham destaque com a saída de gelo seco em dois pontos fixos do buffet, enquanto o aniversariante e seus pais são anunciados e surgem no salão pela Saída Mágica.

Para entrar no palco e curtir os minutos de homenagem, Rita vestiu a filha de bailarina. Antes de começar o parabéns, as luzes do salão são apagadas para, em seguida, a música do CD começar a tocar e o apresentador chamar a criança. Em meio a surpresa de todos, bolinhas de sabão - preparadas com produto especial para não provocar ardência nos olhos - colorem o ambiente junto com os monitores, que entram no clima, e do Homem-bala que corta o teto do salão indo ao encontro do aniversariante.

“No caso da Rhaissa, foram colocados fogos de artifício nas costas do boneco Homem-bala e enquanto ele se movia, o show pirotécnico completou o momento”, explica Sílvio César Vechiato, sócio da esposa Hérika Mascara Coelho Vechiato, no Pirilampo´s. A chuva de papel picado também foi um opcional para o parabéns que a mãe não quis abrir mão. “Ao invés de prata, pedi para deixar papéis coloridos”, lembra Rita.

Nesse tempo, os monitores encaminham os pais e a criança para a mesa decorada, bem em frente ao palco. O garçom traz o bolo com uma vela foguetinho em cima. “A criança fica deslumbrada!”, diz Sílvio.

Uma retrospectiva preparada pela ML Produções foi passada em seguida. Um discurso emocionado, que pode ser feito tanto por parentes quanto por um funcionário da casa, encerra a homenagem.

O Pirilampo’s é tematizado de Circo e a decoração da festa de Rhaissa seguiu o mesmo tema. Os pais contrataram alguns serviços extras, como o Circo & Cia, que levou um elefante animado e uma monociclista. Palhaços e perna-de-pau, ambos do Brincando com Criança, animaram ainda mais o aniversário.

A idéia de fazer um parabéns diferente nasceu do desejo de oferecer aos pais e convidados mais um momento agradável durante a festa. “Desde a abertura do Pirilampo’s, há seis anos, treinamos nossos funcionários para proporcionar uma cerimônia gostosa e diferente”, revela Sílvio.

Para que todos tenham apenas surpresas agradáveis, Sílvio e Hérika entrevistam os clientes para terem certeza do perfil de cada um. “Crianças com mais de sete anos preferem algo mais rápido. Crianças menores podem se assustar com algumas músicas. Por isso, analisamos caso a caso”, diz Sílvio.

Rita e o marido ficaram tão felizes com o resultado da festa que garantem que a próxima será novamente no Pirilampo’s. “Ficamos sem palavras!”, conta Rita. “Quando Rhaissa entrou no palco, bateu palma e deu risada foi tão emocionante que eu não parava de chorar”, lembra a mãe.

 

HOMENAGEM COMPARTILHADA

 

O Mega Boom, localizado na Parada Inglesa, completa dois anos em agosto. Desde o início, as proprietárias Ana Cristina Modanez e Luciana Amaral pensaram em conceder uma atenção especial para o aniversariante. “Queríamos criar um ritual muito legal!”, conta Ana Cristina. Por isso, o parabéns se tornou o momento mais animado da festa.

Simone Crisóstomo, mãe de Beatriz, cinco anos, conta que escolheu o Mega Boom porque queria um espaço amplo, térreo e com boa comida. Mas revela que o parabéns também é um diferencial de peso. “São quinze minutos de folia que vale muito a pena”, diz.

Beatriz trocou de roupa antes de tudo começar. Vestiu uma fantasia de Bela Adormecida, providenciada pela mãe, seguindo o tema da festa. Para que a surpresa fosse completa, Beatriz saiu pela porta lateral e entrou novamente no salão pela porta principal. Enquanto isso, os monitores fizeram uma chamada para que os convidados ficassem perto da porta de onde ela surgiu atravessando um jogo de fumaça e luz, junto aos pais.

“Ela ficou com vergonha de entrar sozinha”, explica a mãe. Ana Cristina conta que crianças com mais de dez anos preferem entrar sem os pais ou até evitar essa entrada e ir direto para a mesa do bolo.

Ao som do Parabéns a Você estilizado, gravado com a voz do mascote do buffet, a criança desfilou até a mesa de bolo. Ali, mais um efeito emocionante foi criado por um globo de luzes coloridas e por uma vara-laser – que emite raios vermelhos.

Nesse clima, todos cantam em volta da mesa com o bolo enfeitado por uma vela tradicional, com número, e outra estilo palito-estrela. Olhos fechados, pedido feito, bolo cortado. É hora de mais uma surpresa, esta providenciada pela mãe. Uma chuva de prata ao som de Poeira, interpretada por Ivete Sangalo.

“O mais legal de tudo foram os comentários depois”, fala Simone. Ela conta que seus convidados, amigos e família, gostaram muito de tudo e que os 15 minutos de homenagem compartilhada foi multiplicada nas impressões de cada um. “Senti a diferença!”, completa.

Sobre esse retorno, Ana Cristina garante que vários pais já fecharam festas lá por quererem um ritual assim: animado. “Já veio mãe dizendo que o filho queria comemorar aqui por causa do parabéns diferenciado”, lembra.

 

MASCOTE E MÚSICA PERSONALIZADA

 

O Parabéns a Você do Shake Buum, no Jardim Avelino, é programado de acordo com a faixa etária do aniversariante. “Temos CDs diferenciados para tocar durante o parabéns: um para adolescentes, outro que pode ser usado em comemorações de qualquer idade e um terceiro específico para um aninho”, explica Cláudia Calipo, sócia de Marina Cursi, no Shake Buum. As músicas foram gravadas em estúdio com a voz do mascote do buffet – um maestro maluco, o Shake Buum.

Cláudia lembra que a homenagem especial para crianças pequenas é tão admirável quanto a das maiores. “Algumas pessoas pensam que as luzes, os sons e a coreografia assustam o bebê, mas ele participa do momento com grande alegria”, garante. Um bom exemplo é Maria Eduarda, um ano, que comemorou seu aniversário no buffet. “Ela cantou o parabéns duas vezes!”, admira-se a mãe Adriana Somensari Guerrero.

Ao contratar o serviço do Shake Buum, Adriana soube que havia um parabéns diferenciado e topou na hora. “Desde que Maria Eduarda nasceu, a avó a acostumou a cantar e soprar as velinhas mês a mês”, conta a mãe. Mesmo assim, o momento foi surpreendente.

O tema Musical do Shake Buum foi aproveitado para a festa de Maria Eduarda. O cenário montado especialmente para o parabéns favorece a realização dos diversos tipos de parabéns. “É neutro. Por isso, o usamos tanto para meninos quanto para meninas e de todas as idades”, fala Cláudia.

Antes do parabéns, a mãe trocou a roupa de Maria Eduarda, como é de praxe, mas não vestiu fantasia. Entrou com ela no palco enquanto o mascote agradecia a presença de todos e a menina era envolvida por efeitos de fumaça e luz.

Monitores, garçons e todo o pessoal envolvido na produção da festa, inclusive as proprietárias Cláudia e Marina, fazem uma animada coreografia. Uma mensagem improvisada sela a homenagem. “É muito fácil dizer palavras emocionantes para o aniversariante”, conta Cláudia. “Não posso negar que toda a Equipe Shake Buum se envolve pra valer e também se emociona nessa hora”, finaliza.

A festa não pára aí. Para descontrair ainda mais a atmosfera, o buffet faz a Hora do Mico. “Nós vestimos os mesmos adornos dos monitores: echarpes, chapéus e paetês!”, lembra Adriana. Com outra música, todos dançam novamente.

“Minha família adorou!”, diz. “Todos comentaram e elogiaram a criatividade da festa”, completa Adriana, que reuniu neste evento cerca de 150 pessoas.

A idéia das proprietárias do buffet é ampliar a alegria dos clientes. “Em novembro vamos inaugurar grandes modificações que estamos fazendo no nosso espaço, inclusive no palco de parabéns”, revela Cláudia.

 

COMO UM CONTO DE FADAS

 

Muito mais que um parabéns incrementado, o Kids & Kids, no Tatuapé, faz um verdadeiro espetáculo. Sempre com um show diferente, o proprietário Khristian Albuquerque envolve até os funcionários do buffet na apresentação e nem por isso fica de fora. Pelo contrário, ele é o ator que comanda a festa e está sempre vestido de Bobo da Corte.

“Tenho dois filhos e já fiz sete festas no Kids & Kids”, conta Rosangela Armene Romero, mãe de Diego, sete anos, e de Gabriel, um ano. “As histórias nunca se repetem”, completa. Exceto este ano que, com a chegada do caçula, houve duas comemorações num só ano e Diego também quis o Parabéns com Espetáculo.

“Como as crianças já conhecem, elas sentam diante do palco e aguardam quietinhas o show começar”, garante a mãe. Durante 40 minutos, todos ficam envolvidos com a magia da história. “É um conto de fadas! As crianças acabam achando que fazem parte daquilo tudo”, avalia.

No Parabéns com Espetáculo todos os convidados participam da confecção de um bolo. Cada um ajuda colocando um ingrediente diferente – todos de verdade - no caldeirão. No palco está montada uma cozinha muito divertida onde todos os utensílios se mexem sozinhos: a chaleira que fica sobre o fogão dança, o caldeirão e a colher de pau de carinha também se movem.

O encantamento, entretanto, é total quando o bolo fica pronto, mas na receita falta um ingrediente e por isso ele é todo torto. “O caldeirão come esse bolo que deu errado e o Khris chama os pais para inserirem o principal ingrediente: o amor”, conta Rosangela. Daí surge o bolo de verdade e começa o Parabéns a Você, que é finalizado com show de luzes e chuva de papel picado.

“Nas nossas histórias, fazemos sempre uma referência ao nascimento da criança. No caso desse espetáculo, mostramos que se a criança é feita com amor, o bolo só pode dar certo se também for feito com amor”, explica Khristian.

Durante todo o tempo toca música e Khristian faz a narração ao vivo. “O Khris é um show à parte”, diz a mãe. Em todos os parabéns ele participa e envolve a todos. No Kids & Kids há um camarim com cerca de 30 fantasias de tamanhos variados para que os aniversariantes possam se trocar e entrar no clima.

Outro parabéns exclusivo do Kids & Kids é o comemorado com um Livro Mágico, que contém as certidões de nascimento de todas as crianças do mundo. “O livro se movimenta e é preciso encontrar nele a página da certidão de nascimento do aniversariante”, explica Khristian. “É muito divertido!”, completa. Todos os convidados participam dessa busca – adultos e crianças. A página certa só é encontrada quando um dragão sai de dentro do Baú Mágico. Então, entram as fadas com o bolo.

No Parabéns com Bolo trazido por Fadas, a criança já vestida de príncipe ou princesa chega ao castelo por uma ponte elevadiça, instalada no próprio palco, e recebe o bolo de aniversário de fadas que chegam voando. “É sempre um dia mágico”, conclui Rosangela.

Há também o Parabéns com Puppets Fantoches. Neste, os próprios funcionários se vestem de guardiões do castelo e saem a procurar o príncipe ou a princesa entre todos os que assistem. A folia é grande até que, finalmente, eles encontram o aniversariante dentro da Casa do Mago e o levam até o palco onde é cantado o parabéns.

 

VÁRIAS SURPRESAS

 

Associar o parabéns ao nascimento também é uma idéia das irmãs Adriana Beluco e Carmem Melo Dias, proprietárias do Bisk Bask, no Tatuapé. A superprodução foi criada para aumentar ainda mais a emoção do momento. Ao longo dos oito anos que o buffet faz festa, tanto o parabéns quanto todos os outros serviços foram aperfeiçoados.

A preparação é feita em 15 minutos. Uma monitora acompanha a mãe e a criança até o camarim decorado para a troca de roupa.

Bruna, seis anos, foi surpreendida pela mãe com uma fantasia. “Ela ficou maravilhada ao ver a roupa de princesa!”, conta a mãe Gislene Pessoa. No seu aniversário a avó também ajudou a arrumar a neta. Como esta foi a primeira comemoração dela no Bisk Bask, não sabia como tudo funcionava e acabou sendo uma surpresa atrás da outra. “Foi muito bacana!”, diz Gislene.

Quando Bruna já estava pronta, a mãe e a avó saíram do camarim pela lateral e aguardaram a menina entrar no salão pela porta giratória. Nesse momento as luzes são apagadas e começa a sair gelo seco, que ganha ares de suspense com uma música especial.

Ao ser anunciada, a criança vira e começa o parabéns. “É um espetáculo com música e luz”, descreve Adriana. “A criança é recebida no salão com a mesma alegria de quando ela nasce”, analisa a mãe.

Hoje é Dia de Festa , cantado pela Xuxa, é tocado a todo vapor com a animação de todos os convidados. Enquanto isso, um trenzinho é formado com crianças e adultos para percorrer todo o salão.

“Nosso parabéns é muito elogiado pelos clientes”, conta Adriana. E, de acordo com a proprietária, poucos solicitam algo mais, mas pode acontecer. “Alguns já pediram chuva de prata ou orelhas e máscaras do tema da festa. Nesse caso, atendemos ao pedido”, completa.

 

TAPETE VERMELHO

 

“Um momento inesquecível!”, resume José Luiz de Moura Raimundo, sócio de Mara Santin Raimundo, no Rindo à Toa, localizado no Jardim Anália Franco, ao falar do superparabéns realizado pelo buffet.

Welia Souza Coelho da Rocha, mãe de Beatriz, quatro anos, concorda. Ela comemorou o primeiro ano da filha no Rindo à Toa e repetiu a dose no aniversário de quatro anos da menina. “Gostamos muito de tudo na primeira experiência. Por isso, resolvemos fazer novamente”, explica.

Neste ano, o tema da festa foi A Pequena Sereia. Para acompanhar o clima, Beatriz vestiu a fantasia. “No camarim do buffet, escolhemos uma das três opções de roupa que se encaixavam no tema”, diz. Entre os vestidos branco, verde e a saia com top, a aniversariante escolheu o longo verde. Foi maquiada, penteada e... na hora de sair para o salão, a grande surpresa! Ela resolveu entrar sozinha. “Não estava acreditando!”, desabafa a mãe, que imediatamente lembrou da festa de um ano de Beatriz, quando ela mal sabia andar e mesmo assim foi experimentando seus passinhos entre os pais na hora de entrar no salão.

O Rindo à Toa tem vários tipos de entrada que são aplicadas conforme a assiduidade do cliente. “Não repetimos a entrada”, conta José Luiz. O cerimonial dura cerca de 20 minutos. Para chamar a atenção dos convidados, pode ser feita uma contagem regressiva no telão, com clip de música e desenho animado. “Faço isso para quebrar o gelo”, explica José Luiz.

Com um show de som, luz e fumaça, a criança atravessa o salão sobre um tapete vermelho. Os pais aguardam ao lado do palco, onde está a mesa de bolo. “Ela veio desfilando em nossa direção, sorrindo, segurando a cauda do vestido e olhando de um lado para o outro. Foi incrível!”, emociona-se Welia. “As pessoas até acharam que era ensaiado!”, completa.

Quando Beatriz chegou na mesa de bolo, o pai a colocou sobre uma cadeira e começou o parabéns. Durante esse tempo, José Luiz interage com a aniversariante, faz homenagens e brincadeiras. Sugerindo o glamour do momento, o Rindo à Toa faz uma criativa “salva de fogos”. “Estouramos bexigas ao mesmo tempo que fazemos um jogo de luz com strobol que dá a impressão de que são fogos de artifício”, revela José Luiz.

 

PARABÉNS ESPACIAL

 

De um foguete os aniversariantes saem para o parabéns animado do Universo da Criança , no Tatuapé. Essa é a única cena que se repete nesse momento em todas as festas e, mesmo assim, diferentes efeitos de luzes sugerem uma nova entrada.

Francisca Simone de Lima Carvalho, mãe de Guilherme, quatro anos, diz que as quatro vezes que comemorou o aniversário do filho no Universo da Criança, o momento do parabéns surpreendeu. “Por isso faço as festas lá. Sei que nunca terei uma repetida”, diz. “Desde o início do buffet, há nove anos, temos um cenário especial com o foguete”, conta Lu Lima, proprietária do Universo da Criança.

O fato de o tema do buffet ser Espaço, não impede que as festas tenham temas próprios, como Nemo, Shrek, Princesas e outros. Para o quarto ano de Guilherme, a decoração foi toda do Madagascar. “Tanto eu quanto ele somos do signo de leão e ele tem adoração por esse animal”, explica a mãe.

Pouco antes do parabéns, os funcionários Elisandra e Júnior trocaram o menino com roupas que tinham a mesma cor da fantasia de leão: bege e laranja. Ainda no camarim treinaram Guilherme para fazer a carinha do Alex, o leão do Madagascar na hora que abrisse a porta do foguete.

“Foi muito lindo! Ele encantou a todos!”, garante a mãe coruja. Mas a emoção começou antes da graça do menino. Os convidados foram colocados de frente para o foguete e de dentro dele saía fumaça de gelo seco. “Quem não conhece tinha a impressão que ele ia decolar”, conta Simone. Também um jogo de luz com pisca-pisca criava um efeito ainda mais espacial. A música escolhida para esse momento seguiu o tema da festa.

Outro fator que agradou muito a mãe foi o fato de as crianças terem sido colocadas sentadas para assistir a saída de Guilherme. Os adultos ficaram atrás, em pé. “Adoro a atenção que a Lu dá tanto para meu filho quanto para as outras crianças menores”, diz.

Guilherme foi levado pelo pai até a mesa de bolo onde a mãe já o aguardava. Todos cantaram o Parabéns a Você e na hora de cortar o bolo a mãe orientou: de baixo para cima e com um pedido bem bacana. Daí veio a chuva de papel picado que caía ao som das músicas do filme Madagascar em ritmo dançante. “Todos dançaram!”, alegra-se Simone.

“Nunca sei quais são as surpresas que vou ter na festa, pois a Lu nunca conta”, revela. “Faço apenas sugestões, o resto é com ela”, completa. E pelo jeito dá certo. O segredo? “Como mãe imagino sempre o que há de melhor para o meu filho. É isso que procuro oferecer para meus clientes”, confessa.

 

COM A MÃO NA MASSA

 

Alguns proprietários de buffets já descobriram o prazer de serem chefs.
Além de supervisionarem pessoalmente todos os detalhes da festa, eles entram na cozinha e põem mãos à obra, ou melhor, mãos na massa! O resultado é uma alimentação com sabor caseiro e com a garantia de quem prepara todo tipo de delícia como se fosse para a própria família.

 

MASSA ARTESANAL

 

O casal Elma Bianchini Orlandi e Gabriele Orlandi, e Ronaldo Bianchini, proprietários do Carrossel Alegria, no Jardim Anália Franco, têm uma rotisserie dentro do buffet. “Clientes e convidados voltam aqui para encomendar massas, salgados e doces”, conta Elma.

Não é pra menos. Afinal, não é em qualquer lugar que podemos encontrar massas artesanais tipicamente italianas preparadas por um italiano nato! Na cozinha industrial do buffet, o equipamento para preparar a massa é manual. “Não usamos o elétrico, pois ele esquenta e muda a textura da massa”, conta Elma.

Cappelletti, penne, talharim, raviolli, caneloni. Tudo feito sem conservantes nem corantes. “Uso verduras para dar o colorido: beterraba dá o tom vermelho e espinafre, o verde”, revela Gabriele. Depois a massa é recortada e moldada na mão. Essa soma de cor, forma e sabor é proposital. “As crianças sentem-se atraídas para comer; e os adultos também têm curiosidade pelas coisas diferentes”, conta Elma.

A vocação de Gabriele para gastronomia nasceu na família, originária do norte da Itália. Há dez anos no Brasil, o casal tinha um sonho: montar um restaurante. Entretanto, há cinco anos abriram o buffet e investiram todos os conhecimentos ali mesmo. “Adaptamos as receitas italianas para o Brasil, com o auxílio de uma nutricionista”, lembra Elma.

Os ingredientes oferecidos tanto na Itália quanto no Brasil, como sal e farinha, por exemplo, são diferentes. Por isso, foram necessárias horas de experiência no laboratório gastronômico do Carrossel Alegria. “Mesmo assim, sinto falta dos ovos caipiras – mais difíceis de encontrar aqui”, conta Gabriele.

Duas cozinheiras, uma auxiliar, Elma e Gabriele trabalham sob a coordenação de Madalena, mãe de Elma. Mas quando algum cliente quer algo diferente, todos se unem no laboratório para testar sabores. “Às vezes são clientes vegetarianos ou diabéticos e precisamos encontrar novas receitas para atendê-los”, fala Elma.

Apesar de toda essa dedicação, Elma garante que os esforços se concentram na conservação dos alimentos. “Fazemos questão de ter tudo fresquinho. Não armazenamos nada por muito tempo”, conta. Além disso, o casal viaja com freqüência para visitar os parentes italianos, inclusive os que são proprietários de restaurantes. Na ocasião, as confraternizações também se transformam em trocas de receitas.

 

DOCEIRA POR TRADIÇÃO

 

Leila Aparecida da Cunha Aguiar, proprietária do Zigue Zigue, no Tatuapé, cresceu vendo a mãe, Edna Aguiar, sua sócia, fazer bolos decorados. Como brincadeira de criança ajudava a bater um ovo ou a misturar farinha para fazer a massa. Hoje, mãe e filha se encarregam dos doces e bolos oferecidos no buffet.

“É muito prazeroso cozinhar, tanto para mim quanto para minha mãe”, declara Leila. “Quero continuar fazendo bolos e doces por muito tempo ainda”, concorda Edna, 73 anos, que prepara a massa e o recheio na sua própria casa. Geralmente o bolo tem três andares. “Ele é bem fofinho e molhado, como o cliente gosta!”, garante Leila.

Como fazer um bolo assim? Leila diz que o segredo é a mão da própria mãe. Mas desmistifica lembrando que todos os ingredientes utilizados no preparo são de primeira linha. Já Edna conta que não tem nenhuma pressa. “Bato muito as claras, misturo bem tudo. Faço com amor”, finaliza.

Além de sabor, os bolos e doces do Zigue Zigue prometem também beleza. “Não uso pasta americana. Decoro o bolo com saco de confeitar e papel arroz”, diz Leila. Para aprender a técnica, ela fez diversos cursos e se mantém atualizada freqüentando aulas de culinaristas renomadas.

O esforço vale a pena. “Muita gente vai até a cozinha para elogiar”, conta. Também clientes e convidados fazem suas encomendas mesmo quando não tem festa. Nada disso, entretanto, impede que o cliente traga doces e bolos de outros fornecedores.

Com 50 anos de cozinha, Edna preserva receitas tradicionais. Uma das mais elogiadas é a do bolo Sonho de Valsa. “Usamos bombom mesmo!”, revela. Para preparar a doçura, Edna não descuida: prepara tudo no dia para manter a sensação crocante do bombom picado e misturado ao creme de chocolate. Na hora de confeitar, Leila usa marshmallow.

Para atender a cerca de cinco festas por semana, com uma média de 70 pessoas em cada uma delas, é preciso planejamento. Segunda-feira é dia de fazer um levantamento no estoque e sair às compras. No dia da festa, três pessoas dividem o espaço da cozinha industrial do Zigue Zigue: uma fritadeira, para preparar os salgadinhos terceirizados, uma auxiliar e uma responsável pelos lanches.

 

CAPRICHO ORIENTAL

 

“Gosto muito de fazer tudo na cozinha!”, declara Miwa Saito Maeda, proprietária do buffet Miwa, na Vila Talarico. O prazer pela gastronomia existe desde os tempos que ela e a irmã, Midore Saito, gerente do Miwa, faziam o bolo e o decoravam nas festas familiares.

De origem japonesa, Miwa e Midore trazem consigo algumas características da culinária oriental. “São poucas diferenças nos temperos que usamos. O que dá um gosto especial aos nossos doces e salgados é a substituição da água pelo leite”, conta Miwa.

Entretanto, outros detalhes revelam muito mais do que a simples troca de alguns ingredientes. O bolo feito por Miwa e decorado por Midore é uma das maravilhas da festa. São dois tipos: um com duas camadas de recheio,para cantar oParabéns; e outro que é servido depois do parabéns e tem quatro andares e três camadas de recheio. Para cobrir, pasta americana moldada e pintada no tema da festa. Mas o que origina ainda mais elogios dos clientes e convidados são os salgados. “Coxinha, empadinha, risoles, bolinho de queijo... tudo bem sequinho”, fala Miwa.

O local de trabalho das irmãs é grande o suficiente para preparar desde doces e salgados a batidas de frutas. “Pedi que o engenheiro duplicasse o tamanho da cozinha quando foi construída”, lembra. E valeu a pena. Durante a semana três pessoas dividem o espaço tranqüilamente na cozinha industrial. E, em dias de festa, cabem cinco sem atropelos.

Nem sempre as irmãs estiveram a frente da cozinha do buffet, inaugurado há quatro anos. “Tinha uma cozinheira, mas com o tempo percebi que podia dar certo se eu assumisse”, conta Miwa, que há um ano e meio se dedica a arte culinária. “A experiência é boa, apesar de ser um pouco cansativa”, conclui.

Miwa tem quatro filhos e Midori, dois. As atividades maternas não as deixam descuidar das receitas. “Sempre fazemos os quitutes pensando em deixá-los cada vez melhores!”, diz Miwa. A qualidade dos alimentos é uma das grandes preocupações do buffet. Por isso, encomendas externas só são permitidas quando os pratos desejados pelos clientes não são preparados no próprio Miwa.

 

SABOR DE CASA

 

Há 13 anos, Eliana Maria Gobatto Magri, sócia do marido Alcir Magri, no Vale dos Duendes, no Tatuapé, cuida da alimentação nas festas. “Antes de adquirir o buffet, já fornecia os salgadinhos, inclusive os que foram servidos na inauguração”, lembra.

Hoje, salgados e bolo são terceirizados. Mas os doces, as batidas de frutas, molhos, almoço e jantar são preparados por ela. “Não é possível fazer tudo e tenho pessoas de confiança que fornecem esses alimentos”, explica.

Na cozinha industrial do buffet é possível preparar refeições para festa de 150 pessoas. O almoço está incluído no pacote e serve Penne a Bolonhesa e saladas. Para o jantar, o cliente pode escolher o menu. “Um prato maravilhoso é Lagarto com Molho Rothi com Batatas”, conta Eliana. Mas também são feitos pratos mais simples, como Strogonoff de Carne ou de Frango. Tudo com aquele tempero caseiro.

Os molhos são todos preparados com tomates frescos, mesmo os que não serão servidos puros, como os que fazem parte da receita de Carne-louca. “Não usamos extrato de latinha”, garante.

Se o assunto é salada, os tipos são vários e diferentes, como salpicão e grão de bico. A receita especial da casa, entretanto, é a da salada de berinjela – berinjela assada, pimentão colorido, cebola, orégano, azeite e, depois de fria, uva passas e nozes. “Minha mãe já fazia quando eu era criança!”, lembra.

Para dar conta das panelas e das festas, Eliana conta com a ajuda do marido, aposentado há cinco anos. “A lista de compras é preparada na segunda-feira, e, na quarta-feira, ele sai para comprar todos os ingredientes”, conta. “Na hora da festa a família toda se une: meu marido fica no bar servindo as bebidas, meu filho é monitor e recreador, minha mãe fica na fritadeira e até meu pai, aos 70 anos, trabalha como garçom!”, completa.

 

TORTINHA BADALADA

 

“Já tive cliente que trocou o bolo do parabéns pelo meu Petit Gâteau!”, conta orgulhoso Alan Henrique dos Anjos, sócio da esposa Rose Failla no Happy Kids, no Tatuapé. Ele aprendeu os segredos da gastronomia visitando ou trabalhando em cozinhas chefiadas por renomados mestres-cucas, como Léo Filho, há 25 anos no Maksoud Plaza.

Em 2004, Alan adquiriu o buffet e não teve dúvidas: assumiu o comando da cozinha. Ele mesmo verifica estoque e faz as compras. Bolo, salgados e doces são terceirizados. “Assim, me dedico aos pratos de almoço e jantar e ao Petit Gâteau”, conta Alan Henrique. Tudo com ajuda da cozinheira, D. Maria.

Quando o cliente fecha a festa, um cardápio variado é apresentado. “Ele pode escolher massas e molhos de vários tipos”, explica. Receitas como Arroz de Açafrão e outras especialidades também fazem parte do menu. “Faço qualquer tipo de prato”, garante. Entretanto, muitos aplausos ficam para o doce francês.

“Uso apenas ingredientes de qualidade”, diz. Na receita, chocolate meio amargo, manteiga sem sal, ovos, farinha e açúcar. Quinze minutos depois estão prontas cerca de cem tortinhas. Uma bola de sorvete de creme e calda de chocolate. Pronto! O sucesso está garantido.

 

 

 

 

 

 

CORES E FORMAS: BALÕES ALEGRAM A FESTA

 

Arcos, letreiros, painéis, móbiles, contornos, bonecos, arranjos suspensos e de mesa. Todas as formas são possíveis com balões multicoloridos, metalizados e em formatos pré-fabricados. Além de incrementar o mundo da fantasia da criança, a decoração com balões alegra toda a festa.

 

NO FUNDO DO MAR

 

Muitas vezes, um tema maior serve para recriar subtemas. Assim foi a festa de Thiago, dois anos, que escolheu Nemo para decorar o salão do Ki Folia, unidade Jardim Anália Franco. A Cenário Balões ficou encarregada de criar o fundo do mar com balões coloridos.

“Neste caso, o tema principal foi Nemo, mas se tivesse sido Pequena Sereia ou Bob Esponja, a base poderia ser a mesma”, conta Luiz Carlos da Silva, proprietário da Cenário Balões. Neste evento, a fachada criada teve o Nemo como personagem principal e um letreiro com o nome do aniversariante, mas seria possível usar os coqueiros, montados para outra festa na unidade Tatuapé do mesmo buffet, para adornar o mesmo tema. “Fundo do mar lembra praia, que lembra coqueiros, peixes...”, explica.

Há cinco anos no mercado, Luiz Carlos garante que é possível reproduzir o que o cliente quiser com escultura de balões. Na festa de Thiago, um polvo gigante cobriu a parte aérea do salão. Ele foi montado com gás hélio, única ocasião que a equipe enche os balões no local da festa. “Geralmente preparamos tudo na própria loja”, conta.

Os balões são levados de caminhão e a montagem deve ser rápida. “Levamos até uma hora e meia para montar tudo”, diz Luiz Carlos. Para Thiago foi instalado um túnel de balões do Nemo, uma escultura de cavalo-marinho na entrada da passarela, um arranjo com algas e bolhas, o letreiro na fachada e o polvo.

Para cumprir as metas, o pessoal da empresa é treinado e, com o tempo, vai ganhando prática e o trabalho fica ainda melhor. “Exijo sempre dos meus funcionários compromisso com a qualidade e com o horário”, fala Luiz Carlos.

 

 

 

 

 

TUDO COR-DE-ROSA

 

Para comemorar o aniversário de dez anos de Giorgia, no buffet Mediterrâneo do Tatuapé, a Puma Balões, há dez anos no mercado, entrou no clima da Hello Kitty, tema escolhido pela menina. A decoração de balões começou já na entrada: móbiles de estrelas metalizadas com topiarias por todo o corredor e contornos nas diversas fotos da aniversariante com balões nas cores branco e cor-de-rosa. “Para pendurar os móbiles foram montadas traves”, conta Eduardo Seiti, proprietário da Puma Balões.

Uma boneca da Hello Kitty dava as boas-vindas aos convidados no fim do corredor. Um cordão de isolamento criado com balões cor-de-rosa fechava as entradas que não seriam utilizadas. Tanto a parte térrea quanto a superior do buffet foram enfeitadas seguindo o mesmo padrão: arranjos com estrelas e luas flutuantes.

A mesa de bolo, de Cláudia Passarelli, ganhou uma moldura e um painel de fundo com a imagem do rosto da Hello Kitty. Alegrando ainda mais a decoração do bolo e a dos doces, de Isabella Suplicy, topiarias flutuantes foram instaladas com diversas estrelas prata para realçar com o fundo pink.

Para recriar o espaço com auxílio dos balões, foram necessárias oito pessoas, que trabalharam na montagem das seis às onze da manhã. A festa começou ao meio-dia. “A decoração transportada por caminhão levou um dia inteiro para ser preparada”, lembra Eduardo. “O importante do trabalho é que o cliente e seus convidados fiquem satisfeitos”, completa.

 

 

 

 

INSPIRAÇÃO PARA CRIAR

 

Temas inusitados enfeitam buffets e residências. Eles são feitos através de combinações de tipos, medidas, cores e formas diferentes de balões somados a uma boa pitada de criatividade. Assim trabalha Guacirema. “Comecei há dez anos fazendo animação com escultura de balões. Um ano e meio depois já fazia decoração e não parei mais”, conta Guacirema.

As esculturas criadas por ela são inventadas de acordo com o desejo do cliente. “Trabalho em cima do tema escolhido e procuro criar sempre algo diferente”, diz. O que impulsionou a carreira de Guacirema foram as fachadas. “Sempre agrego um item”, completa. Nos cordões de balões, por exemplo, flores, frutas ou animais dão um charme especial àquilo que parecia algo comum.

No caso da festa de uma menina de 11 anos, na sua própria residência, o tema Anos 60 foi trabalhado de forma supercriativa. Os convidados entravam na casa pela porta semi-aberta de um fusca. Placas e faróis substituíram os famosos arcos.

Em outra ocasião, as orelhas da Minie formaram um painel atrás da mesa de bolo. A sensação de tridimensionalidade foi o diferencial.

“Não existe curso que ensine isso. Faço um laboratório toda vez que os pais pedem um tema que ainda não fiz”, revela Guacirema, que tem como braço direito o escultor Angel. Na hora de montar a festa, a equipe instala tudo em no máximo duas horas. “A quantidade de ajudantes varia conforme o tamanho da festa”, finaliza.

 

CLÁSSICOS E ATUAIS

 

Dependendo da idade da criança, os temas são escolhidos. Geralmente os mais clássicos, como Circo e Disney, adornam a festa dos mais novos e os mais atuais, como Moranguinho e Nemo, são as opções dos maiores.

Na Balloon Delivery a idéia do cliente vem em primeiro lugar. “Seja qual for o tamanho do sonho, nós fazemos e entregamos dentro do prazo combinado”, conta Dante Langhi, proprietário da Ballon Delivery.

Para decorar o salão do Star Kids, em Santana, para a festa de Ana Luiza, dois anos, a equipe levou cerca de 15 minutos para montar o boneco e cerca de 40 para fazer o restante da decoração. No tema Shrek, os balões nas cores marrom, verde, amarelo e laranja foram dispostos em arco pérola na escada. Também os centros de mesa foram feitos, neste caso, com balões a gás. O colorido emoldurou a mesa de bolo, da Vivo Desejo.

“Há trabalhos mais complexos”, explica Dante, que está no ramo há dez anos. “Mas a instalação é que costuma ser mais demorada”, completa. Para montar a decoração de balões no tema Circo, para a festa dos irmãos Luiggi, um ano, e Lucas, oito anos, uma equipe de cinco pessoas levou cerca de uma hora e meia de trabalho.

Para esta comemoração foi montado um palhaço feito de balões de cinco metros de altura. Na parte de dentro do salão um outro palhaço, desta vez de dois metros, dava as boas-vindas aos convidados. De sua mão saíam quatro arcos pérola distribuindo cerca de cem balões a gás. A parte aérea ganhou as cores verde claro, amarelo, laranja e vermelho.

Nos centros de mesa, a Balloon Delivery colocou buquês com quatro balões a gás cada e outro com o rosto do palhaço. “A cliente escolheu as cores conforme as predominantes na mesa de bolo”, lembra Dante.

 

 

 

ANIVERSÁRIO DE 5 ANOS DA REVISTA FESTA ETC KIDS

 

Clique no link abaixo e veja as fotos da festa:

www.revistafestas.com.br/fotos.htm

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar para arquivo